Deixar andar (ou a decisão da indecisão)

Cruz

A vida foi acontecendo, decisões foram tomadas,

mas, na minha indecisão, todas foram resvaladas.

Mas que fazer?

Tudo ou nada perder,

no limbo que a vida se tornou,

o fogo estava presente mas o vento amainou.

E assim se foi passando, do viver ao existir,

embora por dentro queimando mas já sem o sentir.

Deixa a vida andar e vais reparar

que, sem tomares grandes atitudes, sem vicissitudes,

tudo à tua volta há-de mudar.

E assim ao teu lado

mas sem me dar a conhecer..

Era quem foi por ti amado

mas agora não o posso ser.

Até que um dia tudo termina

– aí sabemos que batemos no fundo…

Mas onde há semente, a vida germina,

e um novo ciclo começa no mundo.

Oportunidades (ou como a vida acontece)

000054_1Nunca percas uma oportunidade.

Mas nunca percas uma oportunidade de te fazeres crescer, daquilo que te faz bem, daquilo que te é bom!

Assim, há oportunidades que tens de perder.. aliás, que deves perder! Perde todas as oportunidades daquilo que te diminui, do que te faz ser menos pessoa nesta comunidade de pessoas a que chamamos viver. Perde.. para não te perderes!

E assim, ganhar-te-ás! Pois todas as outras oportunidades se apresentarão diante de ti! Agarra-as, com unhas, com dentes, com esforço, com sangue, com suor, com lágrimas, com força, com tudo o que és.. Para que sejas tudo quanto podes ser.

A vida acontece nestes termos. Há sempre oportunidade de aconteceres. Há sempre oprtunidade de viveres.

ESCREVE-TE

Escreve-te em tudo o que te faz sorrir

Escreve-te nos sonhos mais secretos

Escreve-te na essência do teu Ser

Escreve-te no teu SER

Escreve-te com o coração repleto

Escreve-te em todas as linhas da tua Alma

Escreve-te em todas as coisas que fazem parte de ti

Escreve-te nas lágrimas salgadas e quentes

Escreve-te nos sorrisos que iluminam os teus olhos

Escreve-te em tudo que te faz sorrir

Escreve-te nos devaneios do teu coração

Escreve-te na loucura da tua mente

Escreve-te com a certeza de que ÉS

Escreve-te com a paixão que te domina

Escreve-te nas observações mais demoradas e doces

Escreve-te com toda a luz

Escreve-te com toda a sombra

Escreve-te com todas as cicatrizes que carregas

Escreve-te com todo o Amor que te preenche

Escreve-te em toda a tua Vida

Escreve-te com as palavras doces de um sussurro

Escreve-te com a leveza de uma onda

Escreve-te em toda a tua presença

Escreve-te…

black ball point pen with brown spiral notebook

Photo by Tirachard Kumtanom on Pexels.com

Liberdade e opressão.

Entre os fortes e fracos, entre ricos e pobres, entre senhor e servo é a liberdade que oprime e a lei que liberta.

Henri LacordaireHenri Dominique Lacordaire foi um advogado prodígio, um orador brilhante, um padre liberal, um pedagogo ímpar e tanto mais! Sendo impossível agora debater com este “alumiador” do pensamento, sugere-se que se leiam as suas conferências.

Falta de dinheiro? Entregue-se à luta!

O dinheiro não lhe chega até ao fim do mês? Pare de desejar ter mais sorte. Deixe de culpar o acaso. Mesmo que o destino seja malvado, não serve de nada perder tempo com lamentações.

A solução é entregar-se à luta e até, porque não, gozar a luta!

Em vez de se ver como vítima de injustiça, ou de má sorte, veja-se como alguém em vias de melhoria.

A primeira coisa a fazer é subdividir tudo até ao exequível:

Se quer ter 1000€ a mais no fim ano, o melhor dividir isso em meses e descobrir que só precisa de poupar 84€ por mês. Mas se as contas andam tão apertadas que também isto parece impossível, se calhar 21€ por semana já parece mais possível, ou porque não pôr de lado 3€ por dia! Se dividir o problema em pequenos probleminhas, até conseguirá fazer mais do que o que se propôs inicialmente.

No meu caso (tenho um rendimento acima da média), decidi poupar 15€ por dia (de 2ª a 6ª) e qual não foi o meu espanto, ao fim de um ano, o cobrezito onde guardei religiosamente o 15€ diários tinha quase 4000€!! No fim deste ano terei o carro completamente pago e, para isso apenas tive que deixar de jantar e lanchar fora com tanta frequência!

O plano para o próximo ano é fazer todas as refeições em casa… Serei milionária!! Ou pelo menos pagarei a casa antes de morrer e isso, numa altura em que as dívidas são para se gerir, é notável!

Saber receber

LisboaComo muitos lisboetas cosmopolitas, gosto de ver turistas a apaixonar-se pelo nosso país, mas como muitos outros também fico frequentemente irritado com a presença massiva dos mesmos.

Numa conversa tida há poucos dias no Chiado, com um conhecido cronista e amigo, deparei-me com o dilema que tinha entre as suas posições de esquerda e a opinião real que tinha acerca do que chamou “Invasão de Brasileiros”.

Sendo um “homem de esquerda”, como gosta de retratar-se, a verdade é que tinha sentimentos que ele próprio descrevia como xenófobos para com o brasileiros. Isto acontece porque, segundo ele, em pouco mais de dois meses, houve uma enchente de quadros brasileiros a entrar para empresas portuguesas e, além disto, a quantidade de “portugueses com sotaque” que polulam nos cafés da baixa pombalina é cada mais impressionante.

É importante ter noção de que não existem xenófobos, nem racistas, nem machistas, nem outras coisas que tais. Todos temos tudo isto em nós e o seu oposto também.

Nada disto é especialmente mau, definitivo, ou sequer definidor.

Os actos efectivamente realizados e não o que pensamos fazer, são o que nos define.

Tal como não é traição para um homem casado pensar nas mamas da Pamela Anderson, também não é xenofobia pensar que os estrangeiros estão a ocupar o país.

Saibamos receber, como sempre soubemos, apesar de irritações que deverão ser necessariamente inconsequentes.

Valores

Hoje, em jeito de balanço, um alto funcionário de uma empresa de recrutamento, enquanto fazia o balanço do ano, vangloriava-se de ter contratado meio-milhar de pessoas, que colocou nas mais diversas posições.
A especialização é talvez o motor para que tudo seja feito com maior eficácia, mas será provavelmente também a razão para a quantidade impressionante de inutilidade que resulta de toda essa eficácia.

As empresas contratam empresas para recrutarem os seus trabalhadores, contratam empresas para fazer a limpeza, contratam empresas para levar água, para servir café, para limpar vidros, para fazer contabilidade, para desentupir canos, pôr óleo em dobradiças.

Enquanto a única coisa que importa a um CEO for fazer crescer lucros, não vamos conseguir ganhar como sociedade.
O dinheiro tem função, mas não valor em si próprio.
Empresas de fazer dinheiro, não têm qualquer valor, a não ser que os valores das pessoas se resumam a dinheiro.